Telefone
(0**) 21 3693-2704

Endereço
Rua Canadá, 123 - Sabugo Paracambi - Rio de Janeiro CEP: 26.600-000

orkut

Palavra do Pastor

Salmos 27:10 - "Se meu pai e minha mãe me abandonarem, então o Senhor me acolherá."

A batalha espiritual da igreja de Cristo Efésios - 6 : 10 - 20
 
Pastor Edson Quando uma guerra é declarada, iniciada, não há mais lugar para neutralidade. Se o inimigo vem sobre a cidade, todos que ali estão, são considerados inimigos e alvos da arma inimiga. Quando uma bomba cai em um lugar não escolhe a quem atingir. Quando os americanos foram alvo dos suicidas nas torres gêmeas, não só americanos morreram, mas brasileiros e tantos outros estrangeiros também foram atingidos.
 
Ninguém estava preparado para tal investida, e depois de deflagrada a guerra contra o Talibã, o mundo todo de alguma forma foi afetado. Ninguém pode dizer: “O que tenho com esta guerra?
 
Narração:
 
Na carta aos efésios, Paulo apresenta inicialmente o que Deus em Cristo fez por nós, o que Deus em Cristo fez em nós; e a seguir, Paulo apresenta o que Deus em Cristo faz através de nós, concedendo dons aos homens (cap.4). Assim o apóstolo passa a instruir a igreja sobre sua nova vida, sua nova natureza, e seu dever. Podemos considerar algumas afirmações paulinas para refletirmos neste tema da Batalha espiritual da Igreja de Cristo. Assim, vejamos:
 
I – A ARMADURA DE DEUS É IMPERATIVA PARA SE RESISTIR.
 
“Revesti-vos de toda a armadura de Deus.”(6.11) – “Tomai toda a armadura de Deus.” (6.13)
 
Alguns comentaristas argumentam que Paulo olhava um soldado ou pensava em um soldado romano e descrevia sua vestidura de guerra; mas qual seria a vestidura de Deus que habilita o crente para lutar e vencer a sua batalha espiritual?
 
1)-Vs.l4 (A verdade deve nos habilitar a ação, ( Cingir )O nosso agir diário, o nosso relacionamento, o nosso trabalho, tudo deve ser agilizado e operado em verdade e com a verdade. O diabo é o pai da mentira, nós em Cristo Jesus , somos filhos de Deus, somos da família real, irmão e herdeiros com Cristo que é a verdade. Paulo nesta carta diz que devemos falar a verdade uns com os outros porque somos membros uns dos outros , ainda que devemos falar a verdade, deixando de lado a mentira.
 
2)- A justiça deve ser a couraça protetora de nosso coração. Paulo nos afirma que o Reino de Deus é reino de justiça, Deus , o nosso pai é justo; em Jesus nunca houve injustiça, se somos filhos de Deus e herdeiros deste reino, não podemos operar em injustiça. Aquele que pratica a justiça é justo e conhece a Palavra de Deus.
 
3)-Vs.l5, O Evangelho da paz. Os nossos pés devem ser calçados com ele. Este evangelho nos dá mobilidade segura. Paulo repete o profeta quando diz que formosos são os pés dos que anunciam as boas novas. Os pés calçados eram fundamentais ao guerreiro em batalha. Seus movimentos eram sustentados e podia-se proteger de ferimentos nos pés.
 
4)-Vs.l6, Nosso escudo é a fé, ela resiste protetoramente aos dardo inflamados do maligno. Todo aquele que segue a Cristo será perseguido e alvo das setas de fogo maligno. O maligno sabe que pode nos atingir, e sabe como atingir e onde atingir. O escudo do cristão é a sua fé em Cristo Jesus.
 
5)- A espada do Espírito, que é a Palavra de Deus, nas mãos. Não temos só armas de defesa, temos também de ataque: a espada de dois gumes. Crentes que manejam bem a palavra do Espírito são ousados, confiantes. Sua palavra será palavra de Deus. Quando a espada do Espírito, que é espada de dois gumes, é usada no poder e unção de Deus, nem as portas do inferno a resiste. Esta espada é invencível. Com ela Jesus nocauteou Satanás, rebatendo todas as tentações dizendo: “Também está escrito...”
 
II – A BATALHA JÁ ESTÁ DEFLAGRADA
 
1 - “Vs.12. A nossa luta... Nesta guerra cheia de armadilhas não pode haver negligência, não pode haver omissão, não pode haver deserção, não pode haver pacifismo. A batalha é nossa em termos de coletividade, mas também em termos pessoais. Esta luta é minha luta, esta guerra é minha guerra. Li em certo lugar que durante a II guerra mundial, o Dr. Stott se alistou nas forças britânicas, mas, seu filho, John Stott, teólogo, não se alistou alegando ser um pacifista. Seu pai tomou aquilo como traição à pátria e ficou sete anos sem falar com o seu filho.; anos depois se reconciliaram. A segunda guerra mundial passou, os inimigos foram vencidos, e o Dr. John Stott permaneceu escrevendo seus livros, dando suas aulas e ainda um cidadão americano vencedor.
 
2 - “...é contra o diabo...”O inimigo é conhecido e declarado – o diabo, os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes. Ele é o mesmo que fez cair Adão e Eva, o mesmo que tentou Jesus no deserto com todas as suas forças, é o mesmo que pôs nos lábios de Pedro palavras desvirtuadoras dos propósitos do Pai quanto a redenção pelo Filho; o mesmo que entrou no coração de Judas o levou a trair Jesus ; é mesmo que anda ao nosso redor como leão rugindo procurando alguém para devorar.
 
O cristianismo é coisa séria, é questão de vida ou morte: lidamos com realidades eternas que determinam o futuro das pessoas.
 
Por esta causa não dá para resistir sem a armadura de Deus.” A Igreja não está em berço esplendido, está em guerra; não está em um piquenique, estamos num campo de batalha”. A Igreja não está em um clube espiritual, mas num campo de batalha espiritual. Assim, ao se alistar no exército de Deus, seja diligente e tome toda a armadura de Deus para que possa resistir e prevalecer contra as armadilhas do inimigo astuto.
 
Um evangelho solucionador de todos os problemas da vida é falso, mas uma vida cristã sem lutas é no mínimo estranho.
 
Jesus exortou seus discípulos, dizendo que no mundo teriam aflições e ainda mais, que o mundo os odiaria, haveriam de ter inimigos até dentro de suas casa,s contudo, deveriam ter bom ânimo, pois Ele venceu o mundo e assim como Ele venceu , também venceriam.
 
Aplicação
 
Nunca, nesta terra, haveremos de ter vida isenta de perseguições, lutas, tristezas, decepções, contudo, uma vida derrotada é sempre estranho ao cristão, lutas sim, mas derrotado é sinal de que prevaleceu o inimigo e que no mínimo este cristão não estava equipado.
 
Há um hino que cantamos a muitos anos. “Não é dos fortes a vitória, nem dos que correm melhor, mas dos fiéis e sinceros que seguem junto ao Senhor.” Sim, em Cristo somos mais que vencedores.
 
Conclusão
 
A batalha espiritual da Igreja é uma realidade inegável e nós,. Você e eu somos chamados para nos revestirmos e nos equiparmos com toda a armadura de Deus. A Batalha já está deflagrada, mas revestidos, seremos firmes, habilitados e capacitados e seremos vencedores e permaneceremos inabaláveis até o dia de Cristo Jesus. Amen.
 
Pastor Edson Assis de Azevedo.
 
voltar

© 2009 IBRP Paracambi - Todos os direitos reservados

estatística

maiscriativo

xhtml   css